Ceará registra mais 8 mortes por chikungunya

As últimas mortes ocorreram em Fortaleza, com sete casos, e no município de Maranguape, com um óbito, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

O número de mortes por febre chikungunyano Ceará subiu para 51 casos confirmados em 2017, de acordo com o Boletim Semanal Epidemiológico de Arboviroses da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). As últimas mortes ocorreram em Fortaleza, com sete casos,  e no município de Maranguape, com um óbito. 
Segundo o balanço da Pasta, do total de mortes, 40 ocorreram na capital cearense, enquanto outras 11 foram registradas nos municípios de Acopiara, Beberibe (2), Caucaia (3), Morada Nova, Pacajus e Senador Pompeu, com um óbito cada. Dos casos registrados, 30 são do sexo masculino e 21 do sexo feminino, com idades entre 10 dias e 94 anos.
Durante todo este ano, 98.548 casos da doença foram notificados no Estado. Deste total, 54.096 foram confirmados.
Dengue e zika
Até o momento, foram notificados 62.796 casos de dengue no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), correspondendo a uma taxa de incidência no Estado de 700,6 casos por 100 mil habitantes, distribuídos em 182 municípios cearenses. Destes, 15.236 casos foram confirmados  pela Sesa. 
Ainda conforme o boletim da Secretaria da Saúde, até o momento, 15 casos de dengue grave foram confirmados, dos quais 8 resultaram em óbito nos municípios de Fortaleza (4), Itapajé, Maracanaú,Paracuru e em Tabuleiro do Norte. 
A zika, por sua vez, já tem 2.593 casos suspeitos neste ano, dos quais 415 deles foram confirmados. Há concentração de 77,5% na faixa etária de 15 a 49 anos e o sexo feminino é predominante em 78,7% das notificações e 38,5% foram em gestante. 

Diário do Nordeste
Limoeiro Plantão Policial © Copyright 2016. Direção Geral Júnior Moreira